5.11.2014

Utopia

Há muito que anseio
Pelo espaço que promete a humanidade.
Promete mas não cumpre,
Sui generis da raça.
Condicionar o livre arbítrio,
É o que se preza
Para bem dos seres.
Que os céus caíssem se de livre algo tivesse o Homem,
Seria o fim do mundo, cogitam os senhores.
Facto é que o mais fácil é confinar
As criaturas em regras, normas e leis,
Sim.
Apontam o dedo para o mundo ideal, o mito,
Onde a liberdade pura reina, 
Onde o ser não é julgado.
Seria anárquico este estado de maior graça.

Dizem que o mito só preenche a mente dos sonhadores.
Pois eu habito na terra dos sonhos,
E prezo solenemente que o ideal se realize.

Para voar é preciso asas mas também vontade.


Sem comentários:

Enviar um comentário