3.18.2014

Pesadelo I

A taquicardia apoderou-se de mim.
Hiperventilo no momento em que me apercebo que cordas me revestem neste mastro.
Corpos de rostos vazios cercam o perímetro como se tivesse saída.
Começam a rir em soluços ininterruptos, 
Ao mesmo tempo que as chamas principiam.
Sinto a carne a borbulhar e a dilacerar.
Estou em silêncio.
Porquê?
Porque não me soltam?
Qual a razão do riso?
A dor preenche-me e ultrapassou o suportável.
Mordo o interior da boca freneticamente mas,
Não consigo emitir um som que seja.
Começo a ser cinza a partir da cintura
E os vultos apontam.
“ – Reparem o quão espontaneamente se apaga.”
Lavam-me o rosto os olhos que se vão dissolvendo.
É tarde de mais,
Limito-me a deixar que o fogo me consuma num pavio firme...

Desperto com tremores intermitentes e encharcado de suor,
Amanhã durmo.



3 comentários:

  1. Sem dúvida um dos textos que mais gostei de ler ultimamente, e também dos que tens escrito.
    Pelo facto que conseguiu fazer-me ter, como se costuma dizer, aquele "arrepio na espinha". Mas também porque no fundo todos nós nos relacionamos em alguma altura das nossas vidas com o que aqui falas, com o que mostras sentir.
    A taquicardia, a dispneia, aquele aperto no peito... tudo isto sintomas dum pesadelo, ou como diziam à alguns séculos atrás, o 'mare', um demónio que aparecia de noite para assustar e atormentar as pessoas durante o sono. Só para mostrar mais uma vez, o quão impotente às vezes o Homem pode ser :)

    Um abraço Pedro :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro
      peço desculpa, não o poder tratar como um mero leitor pois após tal comentário a vontade de abraçar quem seja é mais forte.
      Para mim significou uma vida ter respondido e ter-se identificado com algo que escrevi. agradeço-lhe e peço desculpa por não me conseguir expressar correctamente

      um abraço
      do mundano pseudo-escritor
      pedro

      Eliminar
    2. Não tem que pedir desculpa por absolutamente nada. aliás fico lisonjeado por tal comentário. E aceito de bom grado tal abraço.

      Continua o óptimo trabalho, e sempre fiel a ti mesmo :)
      Ficarei a espera do próximo.
      um abraço :)

      Eliminar