3.03.2014

Pensamento

Alguns definem a vida como sendo eterna e eu respondo: duas certezas, e duas apenas: início e fim. Das cinzas renasce a fénix, todos nós caímos no esquecimento inevitavelmente.
O que somos nós para além de um corpo?
Somos alma para quem a tem, somos marco para quem somos suporte, talvez.
Continuamos a cair no esquecimento, tal como a força gravítica. Podemos contraria-la sim, mas só depende de nós o prolongar a nossa existência na memória dos efémeros. Não vale a pena seguir a manada social, só cega e ensurdece e caso o façamos, o que somos nós para além de cópias?
Divago até que me doa este corpo que sustenta o pensamento agitado, comprimido nesta caixa de ossos.
Sei que cairei no esquecimento, de nada grandioso tenho nem digno de memória, sou mundano, contudo não me contento a ser somente corpo. Por essa razão não me apoquenta desvanecer da história da humanidade tão célere quanto surgi, Aceito essa verdade como aceito a segunda certeza que tenho.

2 comentários:

  1. Boa noite Pedro,
    Desde já queria dar-te os parabéns pelo teu blog, tenho seguido o que tens publicado e tenho a dizer que a forma como demonstras por escrito aquilo que a tua mente pensa e o teu corpo sente, é de uma forma peculiar e bastante interessante, que me deixa sempre intrigado e com vontade de ir mais além do que está apenas escrito.
    E nesta mensagem, concordo plenamente contigo, são essas as duas grandes certezas da vida e só aceitando essas duas verdades é que se vive plenamente. e comentando a tua questão "O que somos nós para além de um corpo?" - Somos tudo o que referiste. Mas antes de cairmos nesse esquecimento inevitável creio que somos muito mais. Somos o sorriso, somos a lágrima, somos aquele momento e aquele sentimento, que por mais efémero que seja, é eternizado na memória que os presenciaram, que os viveram. e embora para o resto do mundo isso seja efémero, para quem os viveu são memórias eternas, gravadas a diamente. E qual será a maior valia na vida de um "corpo" que deixar eterno no pensamento de outros "corpos" que viveu, que marcou, que não foi esquecido?...

    Cumprimentos,
    continua o óptimo trabalho ! :)

    ResponderEliminar
  2. Boa noite meu caro leitor
    Quero desde já agradecer pelo tempo que despendeu a deixar tão lisonjeio comentário, fico sem jeito e agradeço com toda a minha alma, é reconfortante saber que alguém fica de certo modo interessado pelo que escrevo.
    relativamente ao assunto em causa, não discordo de nada que tenha dito alias tendo a aproximar-me da sua visão contudo devo salientar que é mesmo isto que quero que a minha espécie de escrita, pois de nada mais passa senão uma tentativa de escrever, provoque, o reflectir.

    os meus sinceros e saudosos cumprimentos
    Pedro

    ResponderEliminar