3.11.2014

Equilíbrio

Encontro-me no limiar da insanidade
Saciado por pequenos delírios de um sonho inacabado.
A projeção é mais intensa que a realidade.
Neste filme alucinatório de uma linha de tempo
Os personagens vão ganhando forma e carácter etéreo
Conforme construções inadequadas de perfeição,
De imperfeição não passa.
Esta linha de pré demência é mais ténue que o quente bafejo humano,
Leva a crer que há algo para além disto,
Tudo para descobrir que não passamos de probabilidades cósmicas.

Talvez a alucinação de ser algo ou alguém desapareça a tempo.


2 comentários:

  1. Na tua escrita encontro paz, sinceridade e pureza. Continua, has-de inspirar muitas almas por aí adormecidas, que apenas esperam alguém como tu para ganhar o que lhes falta de coragem para enfrentar a vida e eventuais desafios.

    ResponderEliminar
  2. Caro leitor
    Eu não consigo expressar a minha gratidão a ler tal comentário, deixa-me sem jeito, sem expressão apenas com uma enorme vontade de agradecer para o resto da minha vida, muito obrigado mesmo, sei que estou a ser redundante mas é tudo o que consigo dizer.
    fez-me ganhar um dia dos muitos que perdi em devaneios

    Com toda a minha alma
    Pedro

    ResponderEliminar