5.28.2014

Prazo

Talvez me falte o tempo
Esse que corre sem parar.
Corre na correria intermitente e,
Não adianta ir contra a maré,
Corremos o risco de afundar.
Sei que ele reserva algo
Em que o secretismo reina.
Rei e soberano permanecerá.

Esperemos serenamente como bons súbditos que somos.
O amanhã virá num piscar de olhos.


Sem comentários:

Enviar um comentário