4.02.2014

Reino

Iludidos por uma realidade construída
De perceções e interpretações dissimuladas,
Habitamos esta esfera.
O comando é o sonho.
Precocemente leva-nos 
Aos mais belos reinos fantasiosos e inexistentes.
Tudo o que vemos acrescenta um ponto
Ao cenário que não tem termo.
Este doce veneno é puro, ingénuo.
De simplicidade nasce o coração do homem,
De cicatrizes fina-se,
Pois o mundo altera, assim como a nossa visão.
Turvo, entorpecido, negro
Passará a ser o nosso planeta à medida que o peso se acumula sobre costas,
E o reino desaba em ruínas.

Desejo o veneno de novo,
É tempo de erguer um império.




Sem comentários:

Enviar um comentário