2.22.2014

Negro

Acendo um cigarro
Mais um no meio de tantos
Deixo que o fumo percorra cada alvéolo
Na esperança que acalme esta apatia que me desola.
No vazio da noite,
Nada vejo, nada sinto
Como se fosse parte da imensidão negra que me rodeia
E deixo que esta me envolva num gesto solene.
Sou dela.

O breu da minha alma encontrou uma casa.

Sem comentários:

Enviar um comentário